Sessão Especial

IN(di)VISÍVEL - STILL 3_edited.jpg

Retrospectiva InShadow

Uma celebração da dança e da vida sob a forma dos sete filmes vencedores das edições de 2008 a 2014 do InShadow - Lisbon Screendance Festival, seguidos do mais recente filme de João Afonso Vaz, duas vezes vencedor na categoria de Melhor Realizador Nacional.

Em M de Mafra, Virpi Pahkinen explora o Palácio Nacional de Mafra num solo carregado de simbolismo que relaciona o movimento com o espaço e o tempo. Peter Sparling, em Side B, dá-nos a conhecer um lado do artista que normalmente está oculto da câmara. Sérgio Cruz celebra o atleticismo e a elegância do movimento em Hannah. Noémie Lafrance explora os limites do corpo em Melt, e Renata Ferraz relaciona o corpo com o espaço em Corpo sem Órgãos. Antti Ahokoivu explora a relação do humano com a natureza em Peripheral Vision e Nicola Balhuizen Hepp rejuvenesce um corpo envelhecido através da dança, em Echo. Em In(di)visível de João Afonso Vaz, doze bailarinos são confrontados por uma separação. 

Estes oito filmes, todos diferentes, têm nos seus traços mais fortes muitas semelhanças. Todos exploram a relação do corpo consigo próprio e com o espaço à sua volta, seja ele um espaço natural ou construído por mão humana. Os corpos que nos são mostrados são todos diferentes, mas todos apresentam os seus detalhes, as suas emoções, as suas forças e fragilidades, as suas formas de expressão, os seus limites. São corpos que se procuram e se tentam conhecer, e que se dão a conhecer. São o início de tudo, transmissores de uma arte que, através do ecrã, ressoa por todo o mundo. São corpos que dançam a vida.

Morada: 

Cinemateca Portuguesa

Rua Barata Salgueiro 39, 1269-059 Lisboa

M de Mafra,  Virpi Pahkinen, (SE) 10'

Side B, Peter Sparling (EUA) 8'

Hannah, Sérgio Cruz (PT/UK) 6'

Melt, Noémie LaFrance (EUA/CA) 10'

Corpo Sem Orgãos, Renata Ferraz (PT) 8'

Peripheral Visions, Antti Ahokoiv (FI) 16'

Echo, Nicola Hepp (FR) 1'

In(di)visívelJoão Afonso Vaz (PT) 10'

CONVIDADOS ESPECIAIS

João Afonso Vaz

Os primeiros passos são dados num curso da NYFA e posteriormente no curso de Cinema da Universidade Lusófona. Fundou os Maus da Fita, que pretende ser um ponto de confluência entre criadores e artistas para a produção de conteúdos audiovisuais.

Renata Ferraz

Cineasta - investigadora - atriz, entre mundos, faz filmes e escreve artigos científicos. Trabalhou durante duas décadas como atriz de teatro. Depois deixou-se seduzir pela arte multimédia e pelo cinema. Atualmente é investigadora do CIEBA e do LabCom, está a finalizar, Rua dos Anjos, com o financiamento do ICA.